Regulamento

 

Preâmbulo

António Loja Neves esteve sempre nos caminhos dos cineclubes, dos festivais e dos filmes que fazem a memória da nossa cinefilia. Em português (nos dois lados do Atlântico), ou em crioulo (de Cabo Verde), sempre soube construir palavras que passaram do cinema à poesia, das longas e motivantes conversas ao prazer de redescobrir sábias memórias. O seu mais profundo mergulho acabaria por ser no cinema dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa). Com ele desenvolveu intensa programação e divulgação, em Portugal, Brasil e Moçambique. As Mostras e festivais que tinham sempre o seu cunho, por vezes quase inflamado, numa procura de identidade e conjugação de contextos que sempre o marcaram. A Federação Portuguesa de Cineclubes, da qual António Loja Neves foi sócio-fundador, pretende assim dar a continuidade merecida ao seu trabalho de promoção da cinefilia dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa no espaço do cineclubismo nacional.

 

Asset%201%402x

 

Artigo 1.º - DEFINIÇÃO

 

  1. A Federação Portuguesa de Cineclubes (FPCC), uma associação cultural com fins não lucrativos que congrega os Cineclubes portugueses, assim como associações, secções de cinema e outras organizações culturais dedicadas à sétima arte, tem como objectivo principal organizar a promoção da cultura cinematográfica através de projecção de filmes em sessões privadas, o estudo e a divulgação de todos os aspectos técnicos, históricos, culturais, artísticos e políticos do cinema, utilizando-o como instrumento de formação e de cultura.
  2. Nesse âmbito a Federação Portuguesa de Cineclubes promove a realização bi-anual, de 2 em 2 anos, do Prémio António Loja Neves com o objectivo de promover e premiar a cinematografia produzida nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) que tenham participado em actividades competitivas dos Cineclubes Portugueses, nomeadamente os festivais organizados por Cineclubes federados na FPCC.
  3. O festival é idealizado por amantes e profissionais do mundo cinematográfico e visa dar visibilidade às diferentes produções, nos seus distintos registos técnicos e temáticos, num panorama da produção cinematográfica dos PALOP, promovendo-se como um ponto de encontro deste universo.
  4. O Prémio é uma iniciativa organizada pela Federação Portuguesa de Cineclubes e co-organizada pelos Cineclubes que se associem à actividade.
  5. Para efeitos de definição de curta e longa-metragem considera-se que a duração de curta-metragem é inferior a 60 minutos.

 

Artigo 2.º  - OBJETIVOS

 

  1. O Prémio tem como finalidade geral do projecto reforçar o acesso à cultura cinematográfica dos PALOP, promovendo a sua divulgação, e os elementos para a sua comparação e compreensão.
  2. Em cada edição o projecto deverá reforçar os laços de comunidade e identidade local existentes, promovendo a integração numa identidade e comunidade nacional.
  3. O festival pretende promover os elementos para a comparação e compreensão da cinematografia dos PALOP no contexto nacional e global, olhando aos contextos de produção cinematográfica profissional, académica e da cinefilia em geral.

 

Artigo 3.º - ADMISSÃO

 

  1. São admitidos a selecção os filmes de produção ou co-produção de Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa realizados por nacionais destes países, cuja conclusão tenha ocorrido nos dois últimos anos civis em relação à realização de cada edição do Prémio António Loja Neves.
  2. Os títulos que tenham participado em festivais Portugueses de cinema organizados por cineclubes federados estão admitidos a competição. Para a edição de 2019 estão acreditados os seguintes festivais:
    1. Caminhos do Cinema Português, produzido pelo Centro de Estudos Cinematográficos de Coimbra
    2. Encontros de Cinema de Viana, produzido pela Ao Norte
    3. Festival Internacional de Cinema de Avanca, produzido pelo Cine Clube de Avanca
    4. Filmes do Homem - Festival de Documentário de Melgaço, produzido pela Ao Norte
    5. VistaCurta, produzido pelo Cine clube de Viseu
  3. Os filmes com diálogos em língua estrangeira deverão ser legendados em Português.
  4. Não há limite quanto ao número de obras que cada realizador/produtor pode inscrever no festival, desde que respeitem as normas do presente regulamento.
  5. As inscrições decorrem obrigatoriamente na plataforma FilmFreeway, pelo sítio www.filmfreeway.com/festival/LojaNeves .
  6. Não serão aceites filmes já inscritos em edições anteriores deste Prémio.
  7. Aceitam-se inscrições no formato H264.

 

Artigo 4.º - PRAZOS

  1. A data limite de inscrição de Filmes e envio de Cópias para pré-seleção do Festival é 30 de março de cada ano.
    1. O festival não garante o visionamento e apreciação de filmes recebidos após o prazo de inscrição.
  2. A organização não efetuará qualquer pagamento de aluguer de cópia relativo à exibição de filmes em competição.

 

Artigo 5.º - CUSTOS DE INSCRIÇÃO

  1. Na primeira edição do Prémio António Loja Neves não serão cobrados quaisquer custos de inscrição.
    1. Cobrando-se custos de inscrição, os estudantes beneficiarão sempre de isenção de taxas, após apresentação de comprovativo, enviando o nome do(s) filme(s) e certificado de matrícula.

 

ARTIGO 6.º - ACEITAÇÃO

  1. Os proponentes serão informados da aceitação das suas obras e terão de enviar, via e-mail ou correio, os seguintes elementos:
      1. Biofilmografia do Realizador;
      2. Cópia de exibição e Cópia em Vídeo (DVD/BLU-RAY/Ficheiro) do filme (obrigatoriamente via correio);
      3. Ficha Técnica Completa do Filme;
      4. Fotografia do Realizador, de Cena, do Filme e Poster do Filme;
      5. Trailer ou Excerto de 2 minutos do filme;
  2. O envio dos materiais, quando a opção for via eletrónica, deverá ser efetuado para [javascript protected email address]. O Assunto deverá conter o nome do(s) filme(s) proposto(s) e o nome do Realizador.

 

ARTIGO 7.º - TRANSPORTE E SEGUROS das Obras

  1. Os Portes de Envio das Cópias de Exibição dos filmes seleccionados serão cobertos pela organização, sendo que a sua devolução é da responsabilidade do proponente.
  2. O proponente deverá, aquando do envio das cópias de exibição, indicar o meio pelo qual deseja que estas sejam devolvidas. No caso de omissão dessa indicação, as cópias serão devolvidas pela transportadora do festival a expensas destes.
  3. Todos os filmes a exibir deverão permanecer no festival até ao seu fim, só se procedendo à sua devolução após o término do mesmo.
  4. A organização responsabiliza-se pelo seguro das cópias desde a sua chegada até à sua devolução.

 

ARTIGO 8.º - JÚRI

  1. O Prémio será atribuído por um Júri será constituído por um painel de individualidades, tanto nacionais como estrangeiras, de reconhecido mérito pela sua contribuição para o desenvolvimento do Cinema, Cultura ou da sociedade em geral.
  2. A constituição de cada equipa de Júri será anunciada no sítio do prémio atempadamente.
  3. O Júri pode decidir a atribuição de Menções Honrosas, até ao máximo de uma.
  4. O Júri não atribuirá Prémios em ex aequo.
  5. Das decisões do júri serão lavradas atas justificando as opções tomadas.
  6. É reservado ao Júri o direito à não atribuição de qualquer prémio sob justificação em ata de reunião.

 

ARTIGO 9.º - PRÉMIO

  1. Os filmes inscritos e aceites para competição do festival concorrem ao Prémio António Loja Neves.
  2. Os prémios podem incluir uma componente monetária ou em espécie, dependendo dos patrocinadores do Festival.

 

ARTIGO 10.º - OUTRAS DISPOSIÇÕES

  1. Os filmes inscritos serão incluídos na videoteca da FPCC, ficando as entidades organizadoras autorizadas a usá-las nas suas actividades, durante e após o festival, em brochuras, publicidade, internet, e ainda para outros fins promocionais ou educacionais, salvo indicação expressa em contrário no momento da candidatura.
  2. Todos os filmes selecionados poderão ser consultados durante o festival por profissionais acreditados junto da organização.
  3. Para qualquer outra utilização da obra, será sempre solicitado o consentimento por escrito dos respectivos autores.

 

ARTIGO 11º  - Casos Omissos

  1. À Comissão Organizadora do festival reserva-se o direito de decidir sobre os casos não previstos no presente Regulamento bem como proceder a necessárias alterações, dando conhecimento atempado a todos os interessados.
  2. Decidir condições excepcionais que permitam a seleção de um filme que não respeite integralmente as cláusulas deste Regulamento.

 

ARTIGO 12.º - Disposição Final

A inscrição para pré-selecção e participação no Prémio António Loja Neves implica a leitura deste Regulamento Oficial bem como a sua aceitação

Faro, 14 de Dezembro de 2018